'
×
Publicado em: 28/04/2014

Ciclo de exibições organizadas pelo Quadro inicia com sucesso

O Cineclube dos cinco, projeto da produtora voltado para a exibição e discussão de filmes favoritos da casa, começou com uma plateia pequena, mas entusiasmada. “Passion”, de Brian De Palma, inaugurou o ciclo intitulado “Cinco notáveis”, composto por obras de cineastas que, de diferentes maneiras, foram esquecidos pela indústria ou pelo público.

Ao fim da sessão, Wellington Sari e Anderson Simão propuseram um debate com os presentes, que estavam bastante dispostos a discutir questões sobre o longa-metragem. “A resposta ao filme foi bastante positiva. Nossa mediação, ao final, permitiu que alguns dos presentes refletissem sobre aspectos que, talvez, se vissem o filme em casa, sozinhos, não teriam notado”, conta Sari. Em alguns momentos, o público passou a debater em grupos, entre si. “É isso que se espera de um debate”, comemora Sari.

As sessões são exibidas mensalmente no Espaço de Arte, sempre nas segundas sextas-feiras do mês, às 20h. Entrada grátis.

Clique aqui para ler o texto escrito para a sessão.

Abaixo, release sobre o Ciclo Cinco Notáveis:

Cinco notáveis – ciclo de pequenas obras primas obscuras

Cinco notáveis, se notável fosse um adjetivo que servisse também para designar gênios incompreendidos. Teimosos, rebeldes, insurretos. Cinco párias que se valeram das engrenagens do sistema para fabricar um autômato (com alma) à sua imagem e semelhança.  O cineclube dos cinco, braço da produtora O Quadro, apresenta o ciclo “Cinco notáveis”, composto por cinco filmes de diretores, que, de diferentes maneiras, estiveram à margem, mesmo quando, em tese, nadaram (ou afundaram?) no meio do lago, seja encabeçando um sub-gênero cinematográfico ou recebendo salários de Hollywood.

Subvertendo convenções da arte em que escolheram para se expressar, ignorando o gosto corrente ou desnudando suas sensibilidades debaixo da camisa de força do filme-de-gênero, Brian De Palma, Lamont Johnson, Lucio Fulci, Michelle Soavi e William Lustig produziram obras de puro deleite visual. Como muitas vezes as expectativas do gosto corrente apontam para um só lado, alguns de seus filmes foram pouco vistos, mesmo quando filmaram com dólares hollywoodianos (Johnson) ou quando foram os próprios reformuladores do Sistema que, mais tarde, iria ignorá-los (De Palma). Em outros casos, como o de Soavi e Lustig, especificamente, o gênio de suas empreitadas ficou perdido em meio ao mar de filmes com temática parecida, lançados em ímpeto industrial- lembrando que “industrial” não é sinônimo de “ruim”.

Em escalas variáveis, ao longo dos anos, o cinema destes cinco grandes tem sido reavaliado. Esperamos, com as sessões, acrescentar mais lenha à fogueira e, assim, lançar luz a filmes que, injustamente,ainda ocupam lugar apagado na História.

Filmes:

Passion, de Brian De Palma, 2012

New York Ripper, de Lucio Fulci, 1982

Vigilante, de William Lustig, 1983

Lipstick, de Lamont Johnson, 1976

Dellamorte, Dellamore, de Michele Soavi, 1994

Não há comentários, seja o primeiro a comentar!

Responder

À
5

Please Wait...